A Caligrafia Árabe e a Arte
de Hassan Massoudy - uma Análise

 

Resenha de Jean Lauand

 

  A Caligrafia Árabe é o novo livro de Aida Hanania, que acaba de ser publicado pela editora Martins Fontes de São Paulo.

         A obra visa projetar no meio acadêmico o conhecimento da caligrafia árabe em sua tripla dimensão: educativa, iconográfica e estética.

         Sendo a caligrafia a mais fiel expressão cultural do mundo árabe-islâmico, o leitor é levado não só às origens dessa arte, mas à palavra alcorânica e aos alicerces da cultura árabe em geral.

         A autora, professora titular de cultura árabe da USP, analisa o percurso do khat (arte da caligrafia) em seu instrumental, estilos e, sobretudo, em sua essência: como fundamento e, ao mesmo tempo, tradução de toda uma visão de mundo. Mais do que a imagem - sempre suspeita para o homem do deserto - é a palavra que atinge os recônditos da alma oriental. A palavra é de Allah e a Ele se dirige, principalmente pelo cálamo do artista.

         Objeto privilegiado de análise no livro é a obra de Hassan Massoudy, um dos maiores calígrafos árabes da atualidade; obra que se arraiga na tradição e abre-se para a modernidade. Embora fiel às milenares raízes de sua arte, Massoudy instala-se numa perspectiva universalista e entra em diálogo com a pintura contemporânea, especialmente em sua vertente abstrata.

         A obra apresenta diversas lâminas que ilustram - pela dialética da interação cromático-formal-textual - o profundo e delicado senso estético do artista. 

         A importância dessa edição - autêntico marco para os estudos árabes no Brasil- enseja a re-edição da matéria seguinte - publicada originalmente na Revista de Estudos Árabes da USP, No. 3 - em que a autora - então aluna do curso L'Art calligraphique - entrevista o artista em seu atelier em Paris.